terça-feira, 9 de novembro de 2010

O futuro profissional começa antes da universidade



Milhares de estudantes que prestam o vestibular, não sabem qual carreira seguir. A importância da escolha profissional mexe com os hormônios e o dia-a-dia dos jovens que sonham com o ingresso na universidade e uma carreira promissora. Porém eles encontram barreiras para definir uma das escolhas mais importantes de suas vidas. Trilhar um caminho profissional não é fácil, no entanto especialistas em orientação vocacional admitem que há muita pressão sob os estudantes, mas existem fórmulas para amenizar a tensão dos futuros profissionais.

Para a Coordenadora do Processo de Avaliação Diferenciada (PAD), Margareth Crahim, muitos ficam deslumbrados com as possibilidades financeiras que algumas profissões oferecem através de concursos, bons cargos e, principalmente, por status. Outros com a fixação de seguir os passos da família com uma vaga estável garantida. De acordo com o aluno do Instituto Abel de Icaraí, Rodolfo Rocha (18) não é diferente, ele escolheu Geologia com o apoio de seus pais e principalmente por questões financeiras.

Na Universidade Candido Mendes de Niterói, existe um trabalho de orientação “Procuramos sempre orientar os jovens, seja na inscrição ou durante a entrevista que o sucesso é consequência de fazer, de trabalhar no que gosta, pois o que é bom para um nem sempre será bom para o outro. O importante é escolher uma profissão que lhe dará prazer em exercê-la, pois a ascensão profissional, o sucesso será resultado da reunião desses atributos”, explica Margareth. Decida em se tornar engenheira, a secretária Elza Castro (26) fez a escolha por vocação. “Temos que gostar da profissão, mas também pesquisar a demanda do mercado de trabalho” analisa.

O PAD oferece aos alunos indecisos o projeto “Universidade de Portas Abertas” em parceria com diversas escolas da região. O jovem é convidado a conhecer a universidade, seu espaço físico como também agendamento de encontros como: palestras, oficinas, “tira-dúvidas”, assim eles podem interagir com profissionais na orientação vocacional. “Nossos coordenadores estão disponíveis para o atendimento ao aluno e principalmente aos pais que ficam ansiosos nesse momento de transição da adolescência para a fase adulta dos seus filhos”, acrescenta a coordenadora do PAD.

O estudante do Instituto Metodista Bennett, Lizandro Zamperini (14) quer fazer Gastronomia, porque adora cozinhar e sonha em ser dono de restaurante. “Quando eu recebi elogios pelas minhas receitas e percebi que era o que gostava de fazer, logo decidi o que queria ser, Chef de Cozinha”, disse Lizandro.

A coordenadora do PAD finaliza com um conselho aos futuros profissionais “O diploma superior vai abrir a porta para o mercado de trabalho, mas o que irá mantê-lo nesse mercado é a sua capacidade criativa, seu talento, a empatia e o desenvolvimento de todas essas competências só será possível se fizermos o que gostamos. Portanto é importante investigar, conhecer para escolher o curso e a universidade que vai prepará-lo para esse mercado exigente e competitivo”, conclui.

Um comentário:

Lizandro disse...

Muito bom essa matéria !!!